Numa época e numa sociedade onde a desresponsabilização do Eu e a responsabilização do outro é uma das bases nas quais nos movemos, cada vez mais se torna urgente intervir. A Escola a Família e a Comunidade.

Quantos de nós não ouvimos dizer, ou até já dissemos, que a Criança teve determinado comportamento porque aprendeu na escola? E vice-versa? Isto faz parte da nossa cultura educacional e da tal leveza que herdamos, com base na qual nos desresponsabilizamos. 

Escola

No entanto, a verdade é que as Crianças precisam efetivamente de uma Aldeia para o seu desenvolvimento, crescimento e educação. Nessa Aldeia deve estar inserida a escola, a família e a comunidade como um todo. As Crianças precisam de suporte, de apoio, de consistência, e por isso devemos todos atuar como um só, como fazendo parte de todo o processo. 

Todos somos responsáveis perante todas as Crianças. Porque todos somos modelos dessas Crianças. E a mudança de paradigma educacional que cada vez mais pessoas procuram e defendem, depende desta conjugação de esforços. 

É inevitável reforçar o caminho de união, numa época onde a desunião e a desintegração parece ganhar mais força. ddd

Mais força perante a situação pandémica que vivemos, várias medidas de afastamento têm sido tomadas. Afastamento das Crianças entre si, dddafastamento entre a escola e as famílias, afastamento entre as famílias e as Crianças, e até afastamento entre a escola e as Crianças. Um corte doloroso ao nível dos relacionamentos e ao nível a vivência humana.

Mais força perante o impacto brutal que as tecnologias e redes sociais têm na nossa vida. Afastamento de todos entre todos, com base numa ilusão de proximidade, que em nada nos aproxima, pelo menos ao nível a verdade e da humanidade.

E, mais ainda, força perante a tal desresponsabilização pelas diversas manifestações das nossas Crianças ou responsabilização de outros pelo alcance de determinados objetivos que achamos serem os certos. 

Ninguém sabe concretamente que consequências tudo isto terá, mas conseguimos perceber que não serão muito positivas. 

Quantos de nós crescemos com a nossa Aldeia? Em que brincávamos com os vizinhos na rua, os intervalos eram passados a inventar brincadeiras, os professores quase faziam parte da família. O relacionar, o comunicar são tendências humanas, não podemos permitir que isto se perca. 

Sabemos que a Educação tem de mudar. Sabemos que queremos que as Crianças cresçam num clima de integração, de união, de Paz, de respeito, de liberdade e de aceitação. E por isso é hora de inverter o caminho. Já era hora antes da pandemia. 

Chegou o momento de unirmos esforços entre famílias, escola e comunidade, assumindo em uníssono a responsabilização que temos no futuro das Crianças e da Humanidade

Quando pensamos num mundo em que a Paz é global, em que trabalhamos para ter uma Paz real no mundo, torna-se necessário englobar e unificar a relação Escola, Família e Comunidade.

Mas como?

“De que formas esta conexão poderá ser assegurada?”

“De que forma todos podemos e devemos assumir o nosso papel de Adultos na construção desta Nova Humanidade?”

“De que forma cada um de nós tem o dever de assumir diariamente na sua conduta este papel?”

Isto são reflexões e algumas das respostas que todos nós iremos encontrar na palestra ministrada pela especialista em Educação Carla Ramires, já no próximo dia 14 de novembro de 2020 pelas 14h10, no Montessori Summit.

Publicações Recomendadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *